sexta-feira, 11 de setembro de 2009

É pecado? É pecado? É pecado?


Chegando em casa na sexta a noite, depois de uma semana de trabalho. Minha mãe me recebe na porta com um beijo, como sempre:

(Diálogo fictício)

-Meu amoooooooor, que saudade! Ela se aproxima e me dá um beijo com muita vontade.

-Oi, mãe! Tudo bem? Como foi a semana?

-Tudo ótimo, meu filho. O seu pai foi parar no pronto socorro na quarta, tive que ir socorrê-lo, mas já está tudo bem. E você, como foi de semana?

-O fechamento da revista na terça foi difícil pra caramba, mãe, e as pautas que eu peguei pra próxima edição estão dando muito problema. Mas no demais estou feliz, assisti a um filme muito legal ontem a noite…

-Qual filme, filho?

-Entre Lençóis, mãe, aquele que tem o casal que fica o tempo todo fazendo sexo na cama do motel.

-Mas você não acha ele muito pesado, Ricardo?

-Eu acho, mãe, mas lembra que esses dias atrás você disse que eu já sou grandinho e já preciso começar a fazer as minhas escolhas? Então… tava com uma vontade de assisti-lo!

-Ah – minha mãe diz, um pouco descontente

-Você sabe mãe, eu te amo e estou me esforçando pra te agradar. Você vai ficar triste se eu acender um cigarro de maconha?

-Maconha??? Você começou a usar drogas? Isso é horrível meu filho!

-Não mãe, ainda não comecei, mas estou com muita vontade de começar… mas já vi que isso entristece o seu coração… e cigarro de nicotina, tem problema se eu usar mãe? Ahhh, vai mãe, é legalizado, todo mundo fuma…

-Mas filho…

-Mãe, eu te amo e o meu maior desejo é refletir o caráter que você me ensinou a ter… não quero fazer nada que te deixe mal, por isso estou perguntando se tem algum problema de usar… quero te ver orgulhosa do seu filho. É errado se eu trouxer as minhas duas namoradas pra dormir comigo aqui em casa?

-Mas duas Ricardo? E vocês já dormem juntos???

-Ok mãe, duas é demais, e uma, tem problema? Ela pode dormir no quarto de hóspedes se você achar melhor… quem sabe a gente possa só… se beijar e se acariciar, sem chegar aos finalmentes.. ahh, vai mãe, isso pode né?

-Mas Ricardo, meu filho, eu não quero simplesmente que você não faça sexo com as suas namoradas… a minha preocupação é com o seu coração, com os seus sentimentos, com o quanto você pode se machucar e também machucá-las… eu sonho que você tenha uma família linda, meu filho, e um lar cheio de amor, paz e alegria.

-Ok ok, mãe, tudo bem, entendi. Namorar desse jeito é ruim. E se eu tiver só amizade colorida então? Tipo… sem carícias mais fortes, só beijo na boca e abraço mesmo, pode? Você acha que vai interferir no meu casamento feliz?

(…)

===

Achou um absurdo um diálogo desses? Pois é exatamente desse jeito que as pessoas têm se relacionado com Deus dentro das nossas igrejas. (mais…)

Por Ricardo Regener
(extraído do blog http://meular.wordpress.com)

Um comentário:

Natassia Souza disse...

muito boa comparacao!